Murmures

Il ya un profond sentiment à l’intérieur de mon âme qui nous relient.

Je sens votre présence quand lê soleil frappe ma fenêtre.

Restez et me faire sourire une fois de plus.

###

* Poema que criei para treinar a língua francesa. Provável que contenha erros gramaticais (e mais uns etcs.). Mas gosto de escrever, de começar a entender a estrutura, a lógica e o pensamento da língua. Se for às custas de micos e erros, fico feliz (: O preço é baixo.

 

Dead of tired

Se existe uma música que soa para mim como o suprassumo do cansaço, essa música é “Something in the way”, do Nirvana. Assim que escuto a intro, já começo a sentir meu corpo mole, arrastado, exausto, desértico.

Hoje, por alguma razão que talvez Osho soubesse explicar – ou talvez não -, estou me sentindo “Something in the way” ao cubo e multiplicado pelo resultado da função y = f(x), que seja par. Imagine aí.

img_20161116_094757
Foucault, meu gato, sintomatizou meu cansaço hoje

 

Les Oracles

Je croise les étoiles, les comètes et la lune. Il y a quelque chose dans l’ air, je peux le sentir. Feux verts étirement mains dans le clair de lune. Je viens ici, je viens à ce jour… Je viens ici pour consulter les oracles. Je veux savoir comment traverser le pont à l’ étoile.

***

‘Les Oracles’ (Os oráculos) faz parte do primeiro grupo de tentativas de poemas/pensamentos em francês que me dispus a fazer. Comecei a aprender a língua de forma autodidata há pouco mais de dois anos.